ouvidoria@araxa.mg.gov.br (34) 3691-7000 • 3691-7001

Araxá já recolheu mais de 2.000 toneladas de entulho em áreas entre janeiro e setembro

Lixo, entulho, móveis velhos e animais mortos. A limpeza de praças, espaços públicos, canteiros e áreas verdes já gerou um volume de aproximado de 500 caminhões desde o início do ano. Entre janeiro e a primeira quinzena de setembro, já são mais de 2.000 toneladas de material não orgânico e galhos recolhidos em áreas de descarte irregular durante os mutirões realizados pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e o Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Araxá (IPDSA).

De acordo com o Código de Posturas de Araxá, o cidadão que despejar, de forma irregular, ou fora do horário de coleta, lixo e entulho nas vias da cidade, pode responder processo administrativo e criminal.

“O descarte irregular de entulho e lixo em lotes baldios e áreas públicas é crime contra o meio ambiente previsto em Lei Federal, Decreto Estadual e no Código de Posturas. O infrator está sujeito a uma multa que pode chegar a 50 Unidades Fiscais da Prefeitura de Araxá (UFPAs) - R$ 2.807,50 -”, explica o chefe da Divisão de Meio Ambiente do IPDSA, o biólogo Vinícius Martins.

De acordo com o secretário municipal de Serviços Urbanos, Ricardo Alexandre da Silva (Kaká), o Poder Público tem feito sua parte, mas é preciso ajuda e conscientização da população.

“Precisamos que as pessoas tenham consciência e não descartem lixo em locais inadequados, principalmente naqueles que podem tornar-se criadouros do mosquito transmissor da dengue e outras doenças. Além desses locais se transformarem em áreas de risco para a saúde pública, o trabalho que temos que fazer para retirada acaba prejudicando outros serviços de atendimento à população”, explica.

O cidadão que deseja fazer um descarte correto de entulho pode procurar a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos. Em relação ao descarte de móveis e eletrodomésticos, a população pode acionar a cooperativa ou associações de catadores de recicláveis. A população também pode contribuir denunciando situações de descarte no IPDSA através do número: 3661-3675 ou 3612-2498.